Muita gente que converso sobre empreendedorismo questiona se é realmente necessário conhecer toda a operação do negócio ou basta ter pessoas ao seu redor capacitadas para fazer a coisa andar. Este é um assunto bem interessante e eu sempre quis trocar uma ideia sobre ele.

Para mim, existem dois tipos de comportamento: os que fazem acontecer e os que observam acontecer. As opiniões divergem, mas quando pensamos em pequenos e médios negócios eu acredito que a resposta é a mesma que encontrei quando fundei a D2A.

Se não dominar totalmente a operação da sua empresa, você será engolido por ela.

Eu tive a oportunidade de trabalhar em várias agências de propaganda. Passei por vários níveis de responsabilidade, desde estagiário até quando assumi minha primeira direção de criação. Nesse tempo todo, pude observar a operação de uma agência em todos os seus detalhes. Trabalhei com muita gente boa e talentosa que me ajudou a crescer profissionalmente. Quanto mais eu conhecia, mais eu queria conhecer.

Quando surgiu a ideia da D2A, fiquei um pouco receoso. E agora? Já trabalhei para tanta gente e chegou a minha vez. Deu aquele frio na barriga. Foi aí que eu lembrei de todas as agências que passei, do que eu gostava e do que eu não gostava em cada uma delas. Lembrei dos meus tempos de estagiário, dos meus tempos de diretor. Das noites viradas, dos projetos aprovados, dos reprovados. Lembrei de cada pessoa que me ensinou um pouco do que sei. Nessa hora fechei os olhos, respirei fundo, abri os olhos e disse: vamos lá!

Tentar é o primeiro passo para quebrar o medo do cérebro diante de um desafio.

Uma vez em uma agência, um profissional estava com o trabalho atrasado alegando que era impossível fazer o que o cliente solicitou. Eu pedi gentilmente que ele me deixasse mostrar como se fazia. Sentei no equipamento e fiz o que era pedido. O rapaz, um pouco sem graça, me pediu para ajudar a entender como fiz. Expliquei com prazer, pois é recompensador ver que o seu conhecimento contribuiu para o crescimento profissional de alguém. Mas também disse a ele que sempre tentasse antes de dizer ser impossível. Ele sorriu e somos amigos até hoje. Um grande amigo, por sinal.

Bom, chega de história e me deixe dizer as três boas razões pelas quais acredito ser fundamental ao empreendedor conhecer toda (ou quase toda) a operação da sua empresa. Isso funciona até hoje para mim. Espero que ajude você também.

Conheça 3 boas razões para conhecer (muito bem) a operação da sua empresa

1) Conhecer toda a operação dá mais confiança, segurança e faz você dormir melhor.

Quando você conhece a sua operação e sabe, pelo menos, o mínimo para fazer a estrutura funcionar, você tem mais segurança para dar passos firmes. Não precisa ser um “faz-tudo” (embora no começo da nossa empresa é o que a gente mais faz), mas quando se tem conhecimentos de cada pedacinho da sua engrenagem, você fica mais confiante e sabe exatamente como lidar com as situações. Diante de um desafio, mesmo que ainda não saiba como resolver, pelo menos tem a certeza de saber fazer.

2) Conhecer a operação garante a sua empresa funcionando mesmo sem os profissionais responsáveis.

Quando a empresa está em crescimento, é certo que vamos ter que fazer muitas coisas ao mesmo tempo. Mas eu já vi situações em que um dono não conseguia emitir uma nota fiscal corretamente e praticar as etapas posteriores de cobrança, justamente pelo fato de que ele não conhecia bem o fluxo da contabilidade. Não estou dizendo que você deva ser expert em todas as áreas para abrir uma agência de Marketing Digital (ou qualquer outra empresa), mas é bom conhecer o mínimo para garantir as atividades em funcionamento, mesmo com a ausência dos profissionais responsáveis.

3) Conhecer a operação faz com que se tenha empatia pelo próximo e cria um ambiente de trabalho melhor.

Sim! Empatia! Para se lidar com pessoas é preciso ter empatia e saber se colocar no lugar do outro. Constantemente eu faço e refaço as mesmas perguntas: “será que estou pedindo algo aos meus parceiros que eu mesmo não gostaria ou saberia fazer?”, “será que eles estão se sentido bem ao fazer isso?”. São perguntas que precisamos ter vivas em nossa mente se quisermos um ambiente saudável, alegre, próspero e de respeito mútuo. Quando a gente conhece o que está solicitando ao profissional, transmitimos mais tranquilidade e damos a ele a mesma tranquilidade para trabalhar.

Eu vivo isso diariamente na D2A onde tenho que lidar com situações criadas pelo nosso modelo de operação digital, mas eu vejo isso com muita satisfação pois estou comprovando, na prática, as coisas nas quais sempre acreditei. Com o crescimento da empresa é normal – e desejável – que o empreendedor se afaste da operação para cuidar do futuro do seu negócio, passando a contar com profissionais talentosos para conquistarem grandes resultados.

Mas… enquanto o crescimento está vindo, deixa que eu faço um cafezinho bem quente para animar a próxima reunião de briefing. 😉

Foto: Business photo created by mindandi – www.freepik.com